Warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /home/gmcspt/public_html/frontend/paginas/paginas_ui.php on line 623

Warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /home/gmcspt/public_html/frontend/paginas/paginas_ui.php on line 623

Warning: mktime(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /home/gmcspt/public_html/frontend/eventos/eventos.php on line 288

Warning: date(): It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected the timezone 'UTC' for now, but please set date.timezone to select your timezone. in /home/gmcspt/public_html/frontend/paginas/paginas_ui.php on line 416
&quotes;Direitos Humanos, Tolerância e Luta contra a | GMCS
Última atualização: 20-04-2017 16:45:56
Imprimir
Página atualizada em 23-09-2013 11:06:28

Prémio de Jornalismo "Direitos Humanos, Tolerância e Luta contra a Discriminação na Comunicação Social" - Premiados 2006

 1.ª Edição
2006


O Gabinete para os Meios de Comunicação Social (GMCS) e a Comissão Nacional da UNESCO (CNU) decidiram atribuir anualmente este prémio destinado a galardoar os melhores trabalhos jornalísticos sobre direitos humanos, tolerância  e luta contra a discriminação publicados ou difundidos nos órgãos de comunicação social portugueses.

Notas:
- A partir de 2008,  este Prémio passou a designar-se "Direitos Humanos & Integração";
- Nesta 1.ª edição, o prémio não foi atribuído por categorias.


E os Premiados desta 1.ª edição foram:


1.º Prémio
(ex-aequo)

  • Bernardo Ferrão
    Pela peça “A um Salto” transmitida na SIC
    Resumo: retrato do desespero e dos maus tratos a que são sujeitos os milhares de clandestinos que a partir de Marrocos tentam dar o salto para a Europa. As organizações não governamentais acreditam que possam estar no território marroquino entre seis a quinze mil ilegais. Foi demasiado penoso o caminho que todos eles percorreram para tentar chegar à Europa. No campo universitário de Oujda, a cidade encostada à fronteira com a Argélia, sobrevive ao frio e à fome um sem número de clandestinos. É difícil contabilizá-los.Vivem escondidos da luz do dia. Só a noite lhes garante protecção das perseguições policiais. (continuação).

     

  • Jaime Silvério
    Pela peça “Meio de Fuga” transmitida na Sport TV

    Resumo: a importância da vida desportiva no dia-a-dia dos reclusos e a realidade desportiva nos estabelecimentos prisionais são tema desta reportagem que mostra a popularidade e a importância do desporto rei e não só nas cadeias.

Menções Honrosas

  • Anabela Saint Maurice
    Pela peça “Agora Existo” transmitida na RTP 1

    Resumo: o  testemunho de curandeiros, médicos e jovens seropositivos moçambicanos. Dois terços das pessoas portadoras do HIV vivem em Africa. Por isso mesmo, o continente africano é o mais afetado pela pandemia da Sida. Em países como Moçambique a taxa de infeção continua a subir o que põe em causa as campanhas de informação e prevenção desenvolvidas nos últimos anos.

  • Luís Miguel Loureiro
    Pela peça “Flutuantes” transmitida na RTP 1
    Resumo: os limites da degradação humana a que chegam muitas pessoas conhecidas por todos como toxicodependentes. Através do trabalho de Equipas de Rua, a RTP acompanhou, durante um mês, a vida destas pessoas.
  • Diana Andringa
    Pela peça “Era uma vez um Arrastão” divulgada na Internet

    Resumo: dez de junho de 2005, praia de Carcavelos. Muitos jovens juntam-se ao sol. Há tensão e insultos. Depois chegará a polícia. Às 20 horas, as televisões apresentam ao país "o arrastão", um crime massivo, centenas de assaltantes negros, em pleno Dia de Portugal. O noticiário torna-se narrativa apaixonada de um país de insegurança e "gangs", terror e vigilância. A maré engole o desmentido policial da primeira versão dos incidentes e vários testemunhos sobre uma inventona. "Era uma vez um arrastão" passa em revista um crime que nunca existiu, a atitude dos media perante uma história explosiva e as consequências políticas e sociais de uma notícia falsa.


 

O prazo de candidaturas terminou em 30 de julho de 2006.

Concorreram ao Prémio 63 peças jornalísticas.

O júri foi constituído por Guilherme d’Oliveira Martins, Ana Sousa Dias e José Solano d’Almeida.

O prémios foram entregues entregues numa cerimónia pública realizada no Palácio Foz, Praça dos Restauradores,  em Lisboa, no dia 16 de novembro de 2006, dia da UNESCO e Dia Internacional da Tolerância.


Imprimir
Página atualizada em 23-09-2013 11:06:28